AMC-ing

Quando você pergunta por aí qual a emissora de TV americana que tem produzido os melhores seriados dos últimos tempos, a resposta é quase unânime: HBO. Desde que decidiu encampar The Sopranos, o canal só tem feito crescer e, recentemente, com o sucesso de Game of Thrones, True Blood e Boardwalk Empire, se mantém no topo.

Tanta festa (merecida) em torno da HBO faz muita gente esquecer de outro canal que nos trouxe algumas das melhores séries dos últimos 4 anos: a AMC. Atualmente, ela é responsável por apresentar três ótimos programas: The Walking Dead, Mad Men e Breaking Bad. Walking teve a exibição do último episódio de sua 2ª temporada no dia 18 de março, Mad Men exibiu sua quinta season premiere no dia 25, enquanto Breaking Bad volta às telas apenas em julho.

Walkers

Walking Dead é uma adaptação da série de quadrinhos homônimos, criada por Robert Kirkman. Frank Darabont foi quem tirou a história do papel e levou-a para a televisão. Por isso mesmo, a expectativa em torno da segunda temporada cresceu muito quando Darabont renunciou como produtor executivo e abandonou de vez o projeto.

Agora que o susto passou e a season finale já foi ao ar, devo dizer que a série conseguiu se manter na linha mesmo sem seu criador. Para aqueles que não sabem do que trata a história, The Walking Dead acompanha a vida de um grupo de sobreviventes a um apocalipse zumbi. Sim, eu sei, você está com medo de ligar a TV e se deparar com uma versão cult de Resident Evil, mas posso garantir que a única semelhança entre as duas séries é mesmo a presença dos zumbis.

O ponto forte de Walking – e o que faz o roteiro funcionar – é o jogo com a sobrevivência. Apesar de ser cheia de efeitos especiais, a história só tem graça porque consegue fazer algo relativamente simples: voltar às origens. Coloque 20 pessoas num lugar em que não existem regras, nem qualquer tipo de governo, em que é preciso literalmente lutar por comida, água e suprimentos, além de ser preciso estar constantemente alerta para não ser atacado por monstros. Pode ser exagero, mas Walking parece estar usando uma receita ligeiramente similar à de Lost e, com isso, ocupando o posto de série favorita de muita gente. Tem tudo para funcionar: o constante conflito dos personagens entre o bem e o mal, a luta pela sobrevivência e os mistérios ao redor do vírus que transforma seres humanos em mortos-vivos devem ser suficientes para garantir uma boa história por pelo menos mais algum tempo.

Madison Avenue

Como uma espécie de contraponto de Walking, temos Jon Drapper e companhia. A luta por sobrevivência no mundo do marketing dos anos 1960 talvez seja mais sangrenta que a batalha contra os zumbis, porque ao invés de se defenderem de monstrengos, os personagens enfrentam problemas bem mais difíceis de contornar (e que não podem ser resolvidos com uma bala na cabeça): família e emprego. Previsível? Muito pelo contrário. Matthew Weiner, o criador da história, vem fazendo um trabalho impecável durante quatro temporadas. Mad Men é uma daquelas poucas séries em que cada um dos personagens tem um propósito de existir, uma personalidade bem construída, uma razão para aparecer em cada cena e dizer cada frase.

Combinando um roteiro de qualidade com ótimos atores (salve John Slattery e seu Roger Sterling!) e trazendo a tona conflitos típicos da época, como o movimento feminista e os preconceitos raciais, Weiner mostra que os anos 1960 muitas vezes são mais atuais do que ousamos imaginar.

Mr. White

E Breaking Bad? Apesar de ainda não ter assistido a todos os episódios da série, é fácil perceber que ela pode ser resumida em duas palavras: Bryan Cranston. Não quero ser injusta, porque Breaking tem outras coisas boas a oferecer, mas assim como acontece com House, o motor da série é mesmo a vida de seu personagem principal, ou melhor, sua morte. Sim, porque a história começa com Walters White (Cranston) sendo diagnosticado com câncer terminal e os episódios são uma sequência do que ele decide fazer com o tempo que lhe resta no mundo.
Por essas e outras, vale a pena conferir essas três séries em 2012. Ainda que a produção de Game of Thrones continue sendo a mais completa, os efeitos especiais de True Blood os mais bem trabalhados e a direção de Boardwalk com certeza deixe qualquer um de queixo caído, é bom saber que existe vida inteligente em Hollywood para além da HBO.

This entry was published on April 7, 2012 at 10:34 pm. It’s filed under TV Shows and tagged , , , . Bookmark the permalink. Follow any comments here with the RSS feed for this post.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: